Buraco negro é fotografado pela primeira vez, nesta quarta-feira, 10 de abril, feito antes inimaginável, agora, trazendo revoluções que não podem ser mensuradas no meio da ciência.

Um grupo de cientistas que trabalham para a Event Horizon Telescope (EHT), que há anos tentavam fotografar. Foi preciso oito telescópios, distribuídos em quatro continentes, para ser formado um diâmetro do tamanho da terra, para tal conquista.

A complexidade envolvida pela descoberta, pode trazer evolução em vários campos, tanto na compreensão dos buracos negros, da gravidade e do universo como um todo.

Katie Bouman. A cientista, de 29 anos, foi quem liderou o grupo de criação do algoritmo que permitiu o grupo de cientistas fotografarem o buraco negro. Os estudos do algoritmo foram feitos enquanto cursava engenharia e ciências da computação.

Parceira de profissão do nosso time de cientistas da computação da Ailog (Rodrigo, Jessé, Henrique e Álvaro), Katie trouxe uma nova maneira de encarar e enxergar o universo.

Inconformada, postou uma foto em seu Facebook dizendo: “Observando, incrédula, a primeira imagem que eu já fiz de um buraco negro enquanto estava em processo de reconstrução”

“Watching in disbelief as the first image I ever made of a black hole was in the process of being reconstructed.” Katie Bouman, 29 anos.

Deixe uma resposta